Sites Grátis no Comunidades.net Criar um Site Grátis Fantástico
Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

Rating: 2.9/5 (92 votos)




ONLINE
3





Partilhe esta Página



 

Previsão do tempo

 


O que o seu voto vale?
O que o seu voto vale?

Geral

Sábado, 03 de agosto de 2013 - 23:41

Opinião

O que o seu voto vale? – Por Gilmar Batista da Costa

Quando é tempo de eleições, a população é bombardeada com todos os tipos de informação acerca da política e das administrações e isso confunde as pessoas, cada um fala do seu modo e de forma a favorecer a si mesmo ou a alguém - que vai lhe favorecer. É legislar em causa própria.

O candidato se comporta explicitamente de forma interesseira, pois precisa agradar para conseguir o que deseja e conscientemente chama de “voto de confiança”.

Ele sonda os interesses do eleitor que muitas vezes é tão corrupto quanto grande parte dos candidatos que por sua vez fala aquilo que o eleitor quer ouvir.

Se o candidato não oferece, o eleitor pede e muita gente não se corrompe por falta de oportunidade.

A final, o que vale o seu voto?

O seu voto vale R$ 10,00. Vale a telha do puxadinho, a gasolina, a consulta no oftalmologista, a dentadura, uma portaria, o investimento na educação, na saúde, na estrada, segurança pública, reforma agrária e, sobretudo, o desenvolvimento do país.

Como se não bastasse, cada voto vale ainda um contrato de quatro ou oito anos com direito a recondução e o beneficiado será a pessoa que vai administrar ou contribuir na administração do Estado e sua MÁQUINA, que neste caso é a máquina do poder e também de fazer dinheiro.

Não é por acaso que candidatos se prostram gentil e humildemente diante do eleitor pedindo o seu “voto de confiança” e em público digladia-se um contra o outro. Todos conhecem perfeitamente o valor do voto, pois ele Vale Vidas e o eleitor é a galinha dos ovos de ouro que precisa ser conquistada.

Cabe ao eleitor observar os que se colocam a disposição, insiste que é amigo e que fará tudo em seu favor, é bom lembrar o bordão “quando a esmola é demais o santo desconfia” e o eleitor deve desconfiar de tudo, inclusive daquele que se apresenta dizendo o que já fez, lembre-se que ele cumpriu uma obrigação e foi muito bem remunerado, o eleitor não deve nenhum favor e jamais votar pelo motivo de ser amigo ou parente do interessado, pois os amigos ou parentes nem sempre possuem competência e requisitos necessários.

Não basta que tenha a ficha limpa, é preciso observar os que compõem seu grupo de apoio e patrocínios, pois ainda vale a maçante frase “Diga com quem tu andas que eu direi quem tu és.”

Políticos de profissão também devem ser evitados, pois a experiência adquirida nunca é usada em favor do povo. Além de um exercício de cidadania, a participação na política é um dever cristão e obrigação de todos.

O autor é educador Social do Projeto Pe Ezequiel da Diocese de Ji-Paraná

Fonte: Gilmar Batista da Costa

Autor: Gilmar Batista da Costa