Incêndios em São José, Criciúma e Gaspar SC

23/05/2013 10h44 - Atualizado em 23/05/2013 11h39

PM confirma incêndios em São José, Criciúma e Gaspar como atentados

Polícia Militar já tomou medidas preventivas e opressivas contra a situação.
Investigação sobre tiros contra Câmara de Vereadores de Itajaí seguem.

 

Joana Caldas Do G1 SC

 
13 comentários

A Polícia Militar de Santa Catarina confirmou na manhã desta quinta-feira (23) que o incêndio ao ônibus em Criciúma, no Sul catarinense, e à moto em Gaspar, no Vale do Itajaí, e ao ônibus em São José, na Grande Florianópolis, podem ser considerados atentados contra o estado. Segundo a tenente-coronel Claudete Lehmkuhl, da comunicação da PM, a instituição já tomou medidas preventivas e opressivas contra a situação. "Já estamos em um período de crise", afirmou.

Na segunda (20), dois homens incendiaram um ônibus coletivo em São José e entregaram dois DVDs gravados no Complexo Penitenciário de São Pedro de Alcântara. Os DVDs contêm cerca de seis minutos de gravação. No material, um homem, que não se identifica, relata uma série de problemas que os detentos estariam enfrentando na penitenciária. Em um trecho da gravação, ele critica as condições do sistema prisional e faz ameaças. “O sistema carcerário precisa ser reorganizado e humanizado. Só queremos nossos direitos, ou iremos agir com força total”. Em nota, o diretor do Deap, Leandro Lima, negou as denúncias de maus tratos na Penitenciária de São Pedro de Alcântara.

Ônibus ficou completamente destruído, em São José (Foto: Naim Campos/RBS TV)
Ônibus ficou completamente destruído em
São José (Foto: Naim Campos/RBS TV)

De acordo com a tenente-coronel Claudete, no caso de Gaspar, o suspeito, que foi preso em flagrante, afirmou à polícia que traficantes de uma facção criminosa pediram para que ele ateasse fogo na moto em troca de crack. Em Criciúma, a PM ainda não confirma o envolvimento da facção, mas tem quase 100% de certeza de se tratar de um ataque devido às características da situação. O outro crime considerado um atentado foi o do incêndio a ônibus em São José na segunda (20).

Na terça-feira (21), criminosos atiram contra a Câmara de Vereadores de Itajaí. Na madrugada de quarta (22), uma caminhonete pegou fogo no Morro do Avaí, em São José. O primeiro caso não está confirmado como ataque, já que as investigações não foram concluídas e pode ser um crime político. O incêndio na caminhonete também não foi contabilizado. O proprietário do veículo não registrou queixa e acredita-se que tenha havido falha mecânica.

Ainda segundo a tenente-coronel a PM está atuando com "força total" na prevenção a novos atentados, com barreiras policiais e operações. Ela também afirmou que a Força Nacional ainda atua em Santa Catarina, mas a polícia não pode revelar o número de homens que estão no estado.

Governo
A Secretaria de Segurança Pública de Santa Catarina afirmou que todos os casos estão sendo apurados e que está havendo um reforço no policiamento nas ruas e na parte de investigação. A Polícia Militar e a Polícia Civil estão atuando em conjunto na área de inteligência. O governo do estado de Santa Catarina afirmou que segue a política de alerta total das Polícia Militar e Civil.