Alvoradenses são presos por trafico de drogas

Notícias

308 leituras | 000 comentário | Notícias | Policial

sábado, 24 de agosto de 2013 Marina Fontenele e Joelma Gonçalves Do G1 SE

Alvoradenses são presos pela Polícia Civil por trafico de drogas em Sergipe

COMPARTILHE
 
Suspeitos foram presos em flagrante em restaurante de Aracaju (Foto: Marina Fontenele/G1)Suspeitos foram presos em flagrante em restaurante de Aracaju (Foto: Marina Fontenele/G1)

Quatro suspeitos de tráfico interestadual de drogas presos em flagrante foram apresentados à imprensa em entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira (23) no Departamento de Narcóticos de Sergipe (Denarc). Eles foram detidos na madrugada de quarta-feira (21) com 20 quilos de crack e mais de R$ 70 mil em espécie. A droga está avaliada em R$ 240 mil.

A localização dos suspeitos foi informada à polícia através do Disque Denúncia 181. O grupo estava em um restaurante à beira da estrada de acesso a Aracaju quando foi interceptado. A droga estava escondida em um fundo falso no caminhão modelo bi-trem que estava descarregado.

A droga saiu do município de Ji-Paraná, no estado de Rondônia e parte da mercadoria, 50 kg de crack, foi deixada em Pernambucoenquanto o restante iria abastecer traficantes da capital sergipana.

Nevton de Castro Freitas e o pai dele, Nelson Santana de Freitas (Nelsinho Boiadeiro) são apontados como os ‘chefes’ da quadrilha. Segundo o delegado Osvaldo Rezende, eles compraram a droga oriunda na Bolívia no estado de Rondônia e despacharam no caminhão para os clientes. O caminhoneiro José Uilton Moura Barreto e Adelmo da Silva Costa, apontado como o dono da droga em Sergipe, são os outros dois presos neste caso.

Material apreendido com os suspeitos de tráfico de drogas (Foto: Marina Fontenele/G1)
Material apreendido com os suspeitos de tráfico de drogas (Foto: Marina Fontenele/G1)

“Pai e filho viajavam até Pernambuco de avião e lá tinham à disposição uma caminhonete para transitar. Eles vieram até Sergipe com esse veículo onde se encontraram com Adelmo para fechar negócio", explica o delegado.

Delegado do Denarc, Osvaldo Rezende (Foto: Marina Fontenele/G1)
Delegado diz que não há dúvidas da participação
dos envolvidos (Foto: Marina Fontenele/G1)

José Uilton disse que receberia R$ 10 mil pelo transporte da droga. Nevton tentou retirar a responsabilidade da acusação sobre o pai dele, mas a polícia disse que não dúvidas da participação de Nelson no esquema.

“A droga era minha e meu pai não tem nada haver com isso. Foi a primeira vez que eu me envolvi com esse tipo de coisa porque estava precisando de dinheiro e a situação no Brasil está difícil”, afirma Nevton. As investigações vão continuar com o objetivo de identificar e prender outros evolvidos com o tráfico de drogas.

g1 Visualizar Impressão